quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Apócrifo: A Assunção de Moisés e Deuteronômio Rabbah

O Testamento E a Assunção de Moisés





Breve: A melhor tradução em português de O Apocalipse de Enoque, A obra completa de O Apocalipse de Paulo e o Livro de IV Esdras. Aguardem! Por ora, desfrutem da tradução desta interessante obra. Boa leitura e até breve! 


I
O testamento de Moisés acerca de tudo que ele ordenou no ano cento e vinte de sua vida, o qual corresponde ao ano dois mil e quinhentos desde a fundação do mundo, quando, depois do êxodo, o povo foi conduzido a Aman, que está do outro lado do Jordão.

       Está escrito na profecia do livro de Deuteronômio que Moisés chamou a Josué, filho de Num, um homem aprovado por Deus, para que pudesse ser feito líder do povo e ministro do tabernáculo do testemunho com todos os seus utensílios sagrados, a fim de que ele pudesse conduzir o povo a terra dantes prometida aos seus pais.
Segundo o concerto e o juramento que lhes tinha sido feito no tabernáculo, seria por meio de Josué que eles iriam tomar posse da herança. Por isso foi dito a Josué: “Esforça-te e tem bom ânimo para cumprir tudo quanto te foi ordenado e assim serás irrepreensível diante do Senhor”.
       Porque deus criou o mundo a fim de que ele fosse desfrutado pelo seu povo. Mas o Senhor, por Sua vontade, tem ocultado os Seus propósitos desde a fundação do mundo, querendo que as nações venham assim a ser convencidas. Sim, para que essa humilhação lhes servisse de argumento com o qual pudessem convencer uns aos outros.
        Foi por esse motivo que Ele me escolheu e me preparou antes da fundação do mundo, pois por Sua vontade fui feito mediador desse concerto. E agora vou declarar perante todos que o tempo da minha vida já está expirando e logo irei descansar junto de meus pais. Assim, deixarei por escrito para que vocês saibam como preservar os livros que vos entregarei. Vocês devem organizá-los e untá-los com óleo de cedro e guardá-los em potes de barro em um lugar que o próprio Senhor tem preparado desde o começo do mundo, a fim de que o seu Nome seja invocado até ao dia do arrependimento com o qual o Senhor visitará os homens por ocasião da consumação dos séculos.


II

Através de vós o povo hoje entrará para a terra a qual o Senhor determinou e jurou dá-la aos seus pais, na qual também serão abençoados, pois será confirmada como herança, e por meio deles se estabelecerá o reino. E Tu lhes determinarás o lugar do seu magistrado segundo a boa vontade do seu Deus em juízo e justiça
.       Quando se passarem cinco anos desde a vossa entrada a terra da promissão, eis que os chefes e reis vos governarão por dezoito anos, e durante dezenove anos as dez tribos romperão. As doze tribos descerão e transferirão o tabernáculo do testemunho. Então o Deus do céu fará a côrte do Seu tabernáculo e a torre do Seu santuário, e duas santas tribos serão estabelecidas; mas as dez tribos
nomearão reinos que serão segundo a sua própria vontade. Elas sacrificarão durante vinte anos; sete delas penetrarão os muros, e Eu darei proteção a nove, embora siga que quatro delas se apartarão de Mim e transgredirão o concerto do Senhor, profanando o juramento que fizeram a Ele.
       Eles vão sacrificar seus filhos aos deuses estranhos e até no meu santuário introduzirão seus ídolos para adorá-los. Na casa de Deus eles obrarão a impiedade, pois esculpirão imagens de bestas e de muitas outras abominações.
III

Naqueles dias um rei surgirá no Oriente e virá contra eles, e os seus exércitos cobrirão a vastidão dessa terra. Ele ateará fogo às suas cidades e até o santo templo do Senhor será incendiado. Esse rei arrebatará os vasos sagrados da casa de Deus. Os moradores serão avassalados e arrancados de sua terra natal; isso mesmo: ele tomará duas tribos de Israel para si. Duas tribos suplicarão às dez que restarem e elas marcharam sobre a poeira das planícies como leões famintos e sedentos, e gritarão bem alto: “Justo e Santo é o Senhor, porquanto temos pecado e por essa razão temos sido levados como ele (o rei do Oriente) juntamente com nossos filhos.”
N
       Assim dez tribos se lamentarão ao ouvirem que duas tribos sofreram opróbrio, e dirão: “Que temos nós feito convosco, irmãos? Acaso não veio essa angústia sobre toda a casa de Israel?” Todas as tribos lamentarão e levantarão suas vozes aos céus, dizendo: “Deus de Abraão, Isaque e Jacó, lembra-te da aliança que com eles fizeste, e do juramento que sobre Teu próprio Nome fizeste, ao dizer que a sua descendência jamais seria desarraigada da terra que Tu lhes deste.”
       Naquele dia e naquela aflição eles se lembrarão de Mim, e em todas as tribos cada homem comentará com o seu próximo:  “Não foi isso que fez Moisés ao declarar-nos em profecias que haveríamos de sofrer tantas coisas no Egito, no Mar Vermelho e no deserto por quarenta anos? Por acaso não tomou ele os céus e a terra como testemunhas contra nós e alertou-nos a não transgredirmos os mandamentos do Senhor, dos quais ele mesmo foi o mediador? Por isso todas essas coisas tem-nos sobrevindo desde a sua morte, exatamente como ele tinha predito. E de maior culpa   somos todos nós, pois de antemão fomos avisados por Moisés; sim, é por essa causa que hoje estamos sendo levados como cativos para um país do Oriente.” Cerca de setenta e sete anos durará essa servidão.

IV

Mas surgirá alguém que estará acima deles, e eis que estenderá as suas mãos, e cairá de joelhos para interceder em seu favor, dizendo: “Senhor, dono de tudo, Tu que reinas em Teu sublime trono. Tu que governas o mundo e que fizeste deste povo a Tua nação eleita, para que fosses Tu mesmo o seu Deus, segundo o concerto que fizeste com seus pais. Eles foram feitos cativos em terra estranha, juntamente com suas mulheres e filhos, e agora estão perante os portões das nações onde impera o orgulho. Reconsidera, ó Senhor, e tem misericórdia deles!”

       Então Deus se lembrará deles e os perdoará por causa do pacto que fez com os seus pais. Nesse tempo Deus lhes revelará o Seu amor. Ele preparará um rei que se apiedará do seu povo e que o fará retornar para a sua terra e para o seu país. Partes de algumas tribos subirão e seguirão para as suas próprias porções, e outra vez levantarão os muros que estão caídos. Duas tribos permanecerão em sua prescrita fé, porém tristes e se lamentando, porque não estarão preparadas para oferecer os sacrifícios do Deus de seus pais. Quanto às dez tribos, elas aumentarão e se multiplicarão entre as nações enquanto durar o seu cativeiro.

V

Quando o tempo do castigo estiver próximo e surgirem os reis que partilharão de sua culpa e condenação, eles mesmos se dividirão. Porquanto assim se tem dito: “Eles se associarão com a injustiça e darão as mãos à iniqüidade e contaminarão a casa de sua adoração, pois têm se prostituído com os deuses estranhos”.   Eles não seguirão a verdade de Deus, antes contaminarão o santo altar com ofertas que trarão para o Senhor, pois não são sacerdotes, mas escravos que nasceram de escravos.
       Naquele tempo muitos farão acepção de pessoas e aceitarão presentes para perverterem o juízo. Por causa disso, os limites de sua habitação serão demarcados com ilegalidade e iniqüidade. Mas aqueles que impiamente se apartarem do Senhor hão de ser condenados.

VI

Desde então, aparecerão entre eles reis que criarão suas próprias leis, e eles mesmos se autonomearão sacerdotes do Deus Altíssimo; estes são os que obrarão a iniqüidade no Santo dos Santos. Então virá um insolente rei que os sucederá e ele não sairá da linhagem sacerdotal; um homem atrevido e ousado que os julgará segundo a sua vontade. Ele fará passar os seus maiorais ao fio da espada e os abaterá em suas câmaras secretas, de modo que ninguém conseguirá descobrir o paradeiro de seus corpos.

       Ele ordenará a execução desde o jovem até ao idoso e não poupará a quem quer que seja. Assim a sua tirania há de ser a mais horrenda que terá vindo a essa terra. Porque ele executará juízos sobre eles tais como aqueles que lhes sobrevieram quando ainda estavam no Egito, e durante trinta e quatro anos eles serão maltratados.
       E ele gerará filhos que lhe sucederão no trono por curtos períodos. Mas aparecerá um poderoso rei vindo do Oeste e os derrotará e os levará cativos, e o seu santuário será entregue ao fogo. Naquele tempo os vossos filhos hão de ser crucificados ao redor de vossas cidades.

VII

E  há de ser que ao término destas coisas, o tempo terá se
consumado, em um momento...(texto fragmentado) as quatro horas estão cumpridas. Eles serão obrigados... e a esse tempo homens maus estarão governando, e afirmarão que são pessoas justas. Eles se deixarão convencer e envenenarão as suas mentes, pois são homens pérfidos que agem a seu bel-prazer, que dissimulam em todos os seus negócios e são amantes dos banquetes a cada hora do dia. Glutões e viciados nos prazeres da gastronomia...
       Eles tirarão proveito dos pobres, dizendo que o obreiro é digno do seu salário, mas na verdade eles são devoradores dos bens alheios, queixosos, enganadores, e usando de hipocrisia a fim de que não sejam manifestos os seus reais intentos; ímpios, cheios de injustiças e iniqüidades desde o nascer do sol até o seu ocaso. E ainda assim eles dizem: “Nós daremos banquetes extravagantes, com bastante comida e bebida e nos regalaremos como verdadeiros príncipes”. E apesar disso, suas mãos e mentes estão manchadas pelas coisas imundas, ainda que com a boca pronunciem coisas estupendas. Hipócritas, eles se afastam dos pobres, alegando que não podem se misturar com eles a fim de não mancharem as suas vestes santas.

VIII

Mas eis que sobre eles virá o segundo período da ira, e há de ser tal como jamais lhes terá acontecido, pois ele suscitará contra eles o rei dos reis da terra, aquele que governa com grande poder. Ele crucificará àqueles que confessarem a sua circuncisão, e àqueles que a negarem ele os amarrará e os lançará na prisão. Suas esposas serão entregues aos cães dos gentios e seus filhos ainda jovens serão mutilados pelos médicos a fim de apresentarem os seus prepúcios. Outros dentre eles serão punidos com muitas torturas, e com fogo, e com espada, e eles serão forçados a carregar as imagens de seus deuses mudos perante o público, e se contaminarão tal como eles mesmos.
       Semelhantemente, aqueles que os torturarem os obrigarão a entrar no íntimo do santuário, de modo que sob ferroadas eles serão obrigados a blasfemar com insolentes palavras. Ademais disso, serão forçados a blasfemar contra a lei e contra tudo o que se oferece sobre o seu altar.


IX

Naquele dia surgirá um homem da tribo de Levi, cujo nome será Taxo, que terá sete filhos aos quais falará com exortações: “Atentai, meus filhos, eis que o segundo período da visitação da imundícia estar por vir sobre o povo, e uma punição sem misericórdia que excederá à primeira. Porquanto, que nação, ou região, ou que povo ímpio há que tenha cometido tantas abominações perante o Senhor e tenha padecido tão grandes calamidades como estas que nos tem sobrevindo? Agora, portanto, meus filhos, escutem-me, observem e saibam que nenhum dos nossos pais ou antepassados tentaram a Deus para transgredirem os seus mandamentos. E agora vocês sabem que essa tem sido a nossa grande força, e é isso que vocês mesmos devem fazer. Deixem-nos jejuar pelo período de três dias e no quarto seguiremos para a caverna que tem sido o nosso campo, e consintam-nos morrer ali, pois isso nos será melhor do que transgredir os mandamentos do Senhor. Porque se assim fizermos, ainda que morramos o nosso sangre será vingado pelo Senhor.”

X

Então o seu reino surgirá para toda a criação, e Satanás há de ser aniquilado e com ele a tristeza deixará de existir. Então as mãos do anjo executarão aquele que tem sido designado como principal e imediatamente trará vingança aos seus inimigos. Porquanto, Aquele que domina desde o Céu surgirá no Seu trono de glória, e seguirá desde a Sua santa morada com indignação e ira por causa dos Seus filhos.
       Nesse dia a terra será sacudida e até a extremidade há de ser revolvida. As altas montanhas se aplainarão; as colinas serão sacudidas e desabarão. O sol não dará a sua luz e tudo ficará em completa escuridão. A lua perderá o seu brilho e se converterá em sangue. A órbita dos astros também há de ser alterada e até o mar se recolherá no abismo; as fontes das águas se secarão e os rios serão sugados pela terra. Porquanto, o Altíssimo aparecerá; sim o Deus Eterno será o Único.
       Ele virá para castigar as nações ímpias. Deus destruirá todos os seus deuses. Quanto a ti, ó Israel, serás feliz, pois voarás sob o dorso da águia; teus inimigos serão aniquilados, mas a ti Deus exaltará. Ele te elevará até ao céu e às estrelas. Do alto olharás e contemplarás os teus inimigos no Hades. Sim, eles te reconhecerão e verão a tua alegria; então te alegrarás e louvarás o teu Criador.
Quanto a ti, Josué (filho de Num), escreve estas palavras em um livro, porque desde a minha morte (assunção) até esse advento existirão 250 tempos. Essa é a soma dos anos que devem existir até que tudo esteja consumado. E eu irei dormir com os meus pais. Portanto, Josué, seja forte e tenha bom ânimo, porque Deus te escolheu para ser mediador deste mesmo concerto.

XI

Aconteceu que, tendo Josué ouvido as palavras de Moisés, as quais
deviam ser incluídas nos escritos que ele já tinha preparado, ele (Josué) rasgou os seus vestidos e se lançou aos pés de Moisés. Porém Moisés o confortou e chorou com ele. Então Josué lhe perguntou: “Por que me confortas, meu senhor Moisés? Ou como poderei eu ser consolado acerca das duras e amargas palavras que disseste a respeito desse povo, entre lágrimas e lamentos, principalmente quando disseste que vais nos deixar?
       Para onde irás? Ou como poderemos reconhecer as marcas do teu túmulo? Ou quem ousaria tomar o teu corpo dali e o remover para outro lugar como se fosse de um mero homem? Porque todo homem ao morrer tem o seu sepulcro de acordo com a sua idade sobre a terra; quanto a ti, o teu sepulcro será desde o nascente até ao poente do sol, e desde o sul até os confins do norte; o mundo inteiro é o teu sepulcro.
       E, meu senhor, se tu partires, quem há de alimentar a esse povo. Ou quem há que tenha compaixão dessa gente para que a possa guiar pelo deserto? Ou quem intercederá por esse tão grande povo, não se omitindo um só dia, a fim de conduzi-lo à terra de seus antepassados? Como irei eu adotar esse povo, à semelhança do pai que cuida de seu filho, ou como a ama que se encarrega por sua filha; uma virgem que está sendo preparada para se casar com o homem ao qual deve respeitar, guardando a sua alma do sol e cuidando para que os seus pés não estejam descalços para correr sobre a terra? Como irei providenciar comida e bebida que lhes apeteça?
       Eles já chegam ao número de 600 mil homens, porquanto têm se multiplicado grandemente devido as tuas orações, meu senhor Moisés. E que sabedoria ou conhecimento tenho eu para julgar e responder com palavras na casa do Senhor? E quando os reis dos amorreus souberem que nós os estamos atacando, logo ficarão informados de que o homem que tinha o Espírito Santo e que era digno da presença de Deus, já não está entre nós, ele que era multiforme e incompreensível, o senhor da palavra e que foi fiel em tudo, sendo também o principal profeta de Deus sobre a terra e o mais perfeito dos juízes do mundo; sim, eles juntamente dirão:
“Levantemo-nos e lutemos contra eles”.
       Se o inimigo mais uma vez arquitetar planos contra o Senhor, esse povo não terá mais um advogado para oferecer orações em seu favor perante Deus, tal como o fez Moisés, o grande mensageiro, que a qualquer hora do dia ou da noite podia estar de joelhos sobre a terra, clamando e pedindo o socorro do Altíssimo que governa o mundo inteiro com compaixão e justiça, por causa do concerto que tem feito com nossos pais, e propiciando o Senhor com juramento. Porque eles dizem: “Moisés não está mais entre eles. Portanto, vamo-nos e os destruamos de sobre a face da terra!” O que será então desse povo, meu senhor Moisés?”

XII

Terminando Josué de pronunciar estas palavras,  eis que se lançou novamente aos pés de Moisés. E Moisés o tomou pala mão e o fez sentar no seu lugar, e lhe disse: “Josué, não seja desprezível aos teus próprios olhos, antes sossega a tua mente e ouve o que vou dizer. Todas as nações que estão sobre a terra foram criadas por Deus, inclusive nós. Ele tem previsto desde o princípio do mundo até o fim dos tempos e nada há que possa escapar da sua visão, nem mesmo as coisas mais insignificantes.
     
   Deus tem preparado todas as coisas para um fim predeterminado.   Isso mesmo: tudo o que existe no mundo tem sido preparado de antemão e trazido à luz pelo Senhor, que por Sua vontade me escolheu para oferecer-lhe orações pelos pecados deste povo. Mas isso não foi pelo fato de eu ser nobre ou virtuoso, mas porque Ele é eternamente bom e fez cair a Sua compaixão sobre mim. `Por essa razão é que te digo, Josué: Não é devido a iniqüidade desse povo que tu desarraigarás as nações. As luzes do céu e os fundamentos da terra foram criadas e aprovadas por Deus e estão sob o penhor do anel de Sua mão direita.
       Portanto, tudo o que existe e cumpre a vontade divina, deve prosperar, mas aqueles que pecam e se esquecem da lei de Deus, hão de perder todas as bênçãos prometidas e serão castigados com muitos tormentos entre as nações. Todavia, eles não serão destruídos de todo, porque Deus irá adiante e cumprirá tudo o que foi dito, pelo que o Seu concerto há de ser estabelecido pelo juramento ao qual... (documento corrompido)


Adendo: Deuteronômio Rabbah sobre a assunção de Moisés

Deus Pediu a Gabriel e a Miguel que trouxessem a alma de Moisés para o Céu, mas os dois anjos se escusaram com muito temor e reverência. Sendo assim, o Senhor convocou Sammael, o anjo da morte, e lhe falou:
_ Traga-me de volta a alma de Moisés.

Naquele mesmo instante Sammael se revestiu de ira como de um
vestido e se apressou em embainhar a sua espada com crueldade para seguir até a presença de Moisés. Mas ao perceber que o profeta estava sentado a pronunciar o Inefável Nome do Senhor, e que o esplendor do seu rosto se assemelhava ao brilho do sol, parecendo até mesmo com a face de um dos anjos que compõem as hostes celestiais, Sammael começou a tremer diante de Moisés. E embora não sendo um anjo comum, Sammael entendeu que não estava apto para ceifar a alma de Moisés. Mesmo assim, Sammael resolveu se apresentar perante Moisés. E Moisés já estava ciente de que o anjo da morte tinha se aproximado.
       Então Sammael encarou Moisés, mas tremia enquanto se agitava para agarrá-lo como uma mulher quando está para dar a luz a um filho. Contudo, não conseguia reunir forças para se dirigir a Moisés, até que o próprio profeta lhe deu a palavra:
_ Que fazes aqui?
E Sammael lhe respondeu:
_ Venho para tomar a tua alma.
_ Quem te enviou? – questionou Moisés.
Sammael respondeu:
_ Aquele que criou todas as coisas.
Mas Moisés lhe resistiu, dizendo:
_ Tu não irás levar-me a alma.
Então o anjo da morte replicou:
_Todos aqueles que vêm a esse mundo um dia inevitavelmente têm de entregar a alma para mim.
Mas Moisés é insistente ao dizer:
_ De todos os homens que vieram a esse mundo, eu sou o mais poderoso.
Ao que lhe retruca o anjo da morte:
_ E qual é a natureza do teu poder?
E eis a resposta que Moisés lhe dá:

_ Eu sou o filho de Anrão. Quando saí das entranhas de minha mãe, eu já estava pronto e não precisei ser circuncidado. E passados não muitos dias após o meu nascimento, eu tomei coragem e assim pude andar sobre os meus próprios pés, e prontamente conversei com o meu pai e com a minha mãe. E não precisei ser nutrido com o leite materno. Quando estava com apenas três meses de vida eu profetizei que estava destinado a receber a Lei do meio do fogo ardente. Ao ser levado para morar com a filha de Faraó, eu entrei no seu palácio e arranquei a coroa de sobre a sua cabeça.
       Aos oitenta anos de idade operei sinais e maravilhas no Egito e de lá arranquei sessenta miríades de pessoas. Eu dividi o mar em doze partes e fiz com que as águas amargas se transformassem em algo bom para se beber. Subi para viajar através do céu, tomei posse da Lei durante a dissensão dos anjos. Recebi a Torah do meio do fogo e habitei debaixo do trono flamejante; sim, eu me abriguei debaixo da coluna de fogo, sob a qual falei com Deus face a face e obtive o Seu favor perante todo o séquito celestial!
       Eu comuniquei os segredos do Altíssimo aos seres humanos, pois da destra do Grandioso Deus recebi a Torah (Bendito seja Ele! E que Israel o saiba). Além disso, empreendi guerra contra Sion e Og, dois  gigantes ídolos, tão altos que as águas de uma inundação chegavam apenas aos seus tornozelos. Mas eu fiz com que o sol e a lua parassem e lutei contra eles, usando apenas o meu cajado, e assim os matei.
     Portanto, quem há no mundo que haja nascido das mulheres para ser capaz de fazer todas essas coisas? Aparta-te de mim, perverso! Tu não tens poder para me resistir! Desaparece agora mesmo da minha presença, pois não te renderei a minha alma!
Imediatamente Sammael retornou para Deus e lhe reportou o que
havia acontecido. Então o Santíssimo (Bendito seja Ele) replicou com Sammael, e lhe disse:
_ Vai e traze-me agora a alma de Moisés!
Então Ele, o Santíssimo (Bendito seja Ele) desceu dos mais altos  céus para buscar a alma de Moisés, e três anjos ministradores O acompanharam: Miguel, Gabriel e Zagzagel. Miguel preparou o caixão de Moisés e Gabriel estendeu um pano de linho no lugar onde ficaria a cabeça do profeta. Zagzagel ficou perto de seus pés, tendo Miguel de um lado e Gabriel do outro. E Deus assim falou para Moisés:
_ Moisés, feche os olhos!
E Moisés fechou os olhos. Quando outra vez lhe falou o Senhor:
_ Fecha as pernas e mantenha os pés juntos.
Ele obedeceu. Então Deus chamou a alma de Moisés de dentro do
seu corpo:
_ Minha filha! Eu te permiti estar por cento e vinte anos no corpo de Moisés, mas agora é chegado o tempo de partires daí. Vem sem mais demorar!
Mas a alma lhe respondeu:
_ Senhor do universo! Eu compreendo que És Deus sobre todos os espíritos e forças da vida. As almas dos viventes e a própria morte estão sob o teu poder. Tu criaste-me e colocaste-me no corpo de Moisés por cento e vinte anos. Há porventura em todo universo um corpo tão puro quanto o corpo de Moisés? Ele jamais se corrompeu com as coisas imundas desse mundo. Eu o amo e não pretendo deixá-lo!
Porém Deus lhe falou:
_ Alma, vem sem demora! Eis que Eu farei com que subas aos mais altos céus e tu estarás debaixo da glória do meu trono, diante dos querubins serafins e de todas as demais hostes celestiais!
Ainda assim, a alma argumentou:
_ Senhor do universo! Eis que existiram dois anjos que habitavam na Tua Presença, eram eles Uzzah e Azael, mesmo assim, eles cobiçaram as mulheres mortais e corromperam a sua natureza angelical sobre a terra. E Tu os castigaste, deixando-os suspensos entre a terra e o céu. Entretanto, esse filho de Anrão cessou as relações maritais com a sua esposa desde aquele dia em que a ele te revelaste além da sarça ardente. E como está escrito: “Mirian e Aarão protestaram contra Moisés por causa da mulher africana que ele tinha tomado como esposa”; porque Moisés tinha se casado com um a mulher de Cushe. Permita-me então ficar e permanecer no corpo de Moisés!
Ao escutar isso o Santíssimo (Bendito seja Ele) beijou Moisés, e tomou-lhe a alma enquanto beijava-lhe a boca. Então Deus chorou, dizendo:
_ Quem subirá por mim contra o adversário? Quem ficará do meu lado contra o vil malfeitor? Porquanto, a Divina Inspiração diz: “Nunca mais se levantará em Israel outro profeta como Moisés!” Os céus choram e se lamentam: “Desapareceu da terra aquele que foi fiel em todas as coisas!” Pelo que a terra igualmente chora, dizendo: “Jamais se levantará alguém assim entre os humanos!”
E quando Josué procurou o seu Mestre e não o encontrou, ele
chorou e disse:
_Ajuda-me, ó Senhor! Aquele era fiel em tudo já não está entre os
homens!
E os anjos ministradores disseram:
_ Ele executou a justiça do Senhor perante Israel!
Então os homens e os anjos disseram em uma só voz:
_ Que ele possa descansar em paz. Aqueles que andam em sinceridade descansarão nos braços de Deus. Abençoada seja a memória do justo, e que a sua alma possa desfrutar do mundo vindouro!
Amém. Que seja feita a sua vontade. Louvado seja o Senhor para Sempre!