domingo, 26 de outubro de 2014

O Testamento de Aser



O Testamento de Aser

1

       Cópia do testamento de Aser, e de todas as palavras que ele falou aos seus filhos no ano cento e vinte e cinco de sua vida. Naquela ocasião ele ainda desfrutava de boa saúde, e falou-lhes:

       Ouçam, meus filhos, a Aser vosso pai, pois vos declararei todas as coisas que são corretas aos olhos do Senhor. Deus tem proposto dois caminhos aos filhos dos homens, bem como duas inclinações e dois tipos de atitudes, e duas ações, e duas omissões. Porquanto exista um dualismo de coisas, de modo que uma se opõe à outra. E existem dois caminhos: o caminho do bem e o caminho do mal, e para esses existem duas inclinações entre as quais o homem deve decidir.
     Portanto, se a alma toma prazer naquilo que é bom, todas as suas ações hão de ser justas; e ainda que cometa algum pecado, logo se arrependerá. Porque se a sua mente pende para o que é reto, e se desfaz da malícia, ele imediatamente vence o mal e subjuga o pecado. Mas se no seu interior só existe a maldade, todos os seus feitos serão impuros, e ele se desviará de tudo quanto é bom, e o mal estará de contínuo à sua porta; e ainda que pratique um ato bom, ele imediatamente o perverterá em maldade. 

      E todas as vezes que começar a fazer um ato nobre, acabará se desviando para a ignomínia, pois o tesouro do demônio vem cheio do veneno dos espíritos malignos.
 
2

       Aquele que com palavras consegue ajudar o bem em favor do mal está sendo omisso, e se conduz para a ruína. Há homens que não mostram  piedade em si, e por sua vez estão agindo mal, pois essas coisas possuem dois aspectos; embora ambos sejam ruins. Mas também existem aqueles homens que amam praticar o mal, pois habitam com o mal. Há casos em que eles até conseguem se comportar como pessoas aparentemente boas, mas logo revelarão a sua verdadeira natureza.
      
      Outros há, que roubam, obram injustamente, falam calúnias, fazem fraudes, e ainda assim se compadecem do pobre; e eis que isso também é de duplo sentido, e tem procedência maligna. Porque aquele que pratica fraude contra o seu próximo está provocando ao Senhor, e blasfemando contra o Altíssimo; mas vejam só: ele ainda consegue fazer o bem aos necessitados!

       Mas ao Senhor que lhe dá a Lei e o mandamento ele despreza e o reputa por nada. Ele profana a alma, mas faz bem ao corpo; ele se apieda de alguns, e matam a muitos. Isso também é de duplo sentido, mas apenas o mal é que se sobressai.

       Igualmente, existe aquele homem que comete adultérios e pratica toda sorte de fornicação, e mesmo assim ele consegue angustiar a sua alma com muitos jejuns, embora siga que quando vier a se alimentar será para fazer o mal em seguida; e com a força da sua saúde ele vai prejudicar o próximo. E apesar de toda a sua inclinação para o mal, ele consegue cumprir alguns mandamentos. Nisso também existe duplo sentido, mas apenas o mal fica em evidência.

       Tal homem é semelhante ao porco; porque são meio- limpos, mas completamente imundos, e Deus assim o tem declarado em suas tábuas celestes.

3

       Quanto a vós, meus filhos, não agireis dessa forma, tratando com ambigüidades como usam fazer os ímpios, indo da bondade à maldade num piscar de olhos; antes firmai-vos apenas na bondade, porque na bondade está o repouso divino, ao qual os homens tanto almejam. Da iniqüidade fugireis, e as obras do mal desfareis praticando o que é reto. Porque aqueles que são de dobre pensamento não servem ao Senhor, mas à sua própria concupiscência. Não podeis servir a dois senhores.

4

       O homem bom tem apenas uma face, embora aqueles que são de duplo caráter possam imaginar que sejam justos perante Deus. Porque para alguns o assassinar a um homem perverso é como praticar dois atos, sendo um mau e outro bom, ainda que no fundo lhe pareça totalmente bom; pois aquele que destrói a um ímpio julga estar praticando algo justo...
       
        Um homem deve mostrar misericórdia ao mesmo tempo em que fulmina ao adúltero e ao ladrão. Mas isso é o mesmo que ter uma face dupla, embora acredite-se que se trate de uma boa ação, pois quem assim procede está seguindo o exemplo do Senhor. Mas a verdade é que se está confundindo com algo que apesar de parecer bom é completamente mau.

       Outros há que desejam jamais ter de compartilhar um único dia com aqueles que se entregam às orgias, a fim de não profanarem a boca nem corromperem a alma. Mas isso também tem o seu duplo sentido, e em tudo parece ser bom. Tais homens são como veados aos olhos de um camponês, pois na sua condição selvagem eles parecem imundos, embora sejam completamente limpos, já que andam em entusiasmos para com Deus, e ainda se abstêm daquilo que o Senhor condena nos seus mandamentos, distinguindo o mal do bem.

5

       Notem, meus filhos, quão ambíguas são todas as coisas, pois uma combate contra a outra, e uma da outra se esconde. A morte sucede à vida, e a desonra vem depois da glória; a noite sucede ao dia, e a escuridão persegue a luz; e tudo acontece perante nossos olhos; as coisas boas são para a vida, enquanto as más são para a morte. Por essa razão é que a vida eterna deve triunfar na morte.

       Não se pode dizer que a verdade é mentira, nem que o certo é errado, pois toda verdade jaz na luz, assim como todas as coisas permanecem nuas perante os olhos do Senhor. Mas eu experimentei todas essas coisas em minha vida sem me desviar da Lei de Deus. Busquei obedecer aos mandamentos do Altíssimo e o servi com todas as minhas forças, e com uma só face me apliquei ao que é puramente bom.

6

       Portanto, vós estareis atentos a todos os mandamentos do Senhor e o seguireis sem ambigüidades; porque aqueles que usam de engano são culpados de duplo pecado, pois fazem o que é mau e têm prazer naquilo que praticam, e ainda seguem o exemplo dos espíritos decadentes que conspiram contra a raça humana. A Lei de Deus guardareis e não dareis ouvidos ao maligno para praticarem a ambigüidade. Para as coisas realmente boas deveis atentar, a fim de que cumprais os preceitos do Senhor. Concentrai-vos nisso, e nisso descanseis.

       Porque no fim todas as justiças ou injustiças dos homens hão de ser manifestas, quando enfim todos comparecerão perante os anjos do Senhor e perante os espíritos de Satanás. Porque quando uma alma morre, ela é atormentada pelos espíritos malignos que também serviram a luxúria e a todas as obras do mal. Mas se alma é pacificadora e viveu em alegria, o anjo da paz a toma e a conduz para a vida eterna.

7

      Não vos torneis como os habitantes de Sodoma, os quais pecaram contra os anjos do Senhor e pereceram eternamente. E eu sei que pecareis e havereis de ser entregues nas mãos de vossos inimigos, de modo que a vossa terra se tornará em uma desolação, e os santos lugares serão destruídos, e vós sereis espalhados pelos quatro cantos da terra. E nessa dispersão sereis reduzidos a nada e convertidos em água que na terra se esvai.

       Até que o Altíssimo venha visitar a terra, antes que esmague a cabeça do leviatã das águas. Ele salvará a Israel e aos que restarem das nações. O Senhor vos tem falado na pessoa de um homem. Portanto, vós mesmos deveis transmitir essas coisas aos vossos filhos, para que não sejam desobedientes ao Senhor. 

      Mas eu sei que vós deliberadamente vos tornareis desobedientes, e deliberadamente praticareis atos de impiedade, não atentando para Lei de Deus. E seguireis os preceitos humanos, os quais corrompem pela injustiça. Por isso, sereis excluídos como Gade e Dan, e não conhecereis a vossa terra e a vossa tribo e a vossa língua. Mas o Senhor por sua misericórdia outra vez vos ajuntará em Israel, e isso será por amor a Abrão, e por Isaque, e por Jacó.

8

       Depois que ele lhes falou essas coisas e lhes deu mandamentos, prosseguiu: Quero ser sepultado em Hebron. Então adormeceu, e morreu em idade avançada. E os seus filhos fizeram exatamente como ele ordenou, pois o levaram para Hebron e o sepultaram com seus pais.

Os Testamentos dos Doze patriarcas - Gade




O Testamento de Gade

1

       Cópia do testamento de Gade e das coisas que ele falou aos seus filhos, aos cento e vinte e cinco anos de sua vida, quando assim lhes dirigiu a palavras:

       Escutem, meus filhos: eu sou o nono filho de Jacó, e fui valoroso no labor de proteger os rebanhos. Eu guardava as ovelhas durante a noite, e sempre que aparecia um leão, ou lobo, ou leopardo, ou urso, ou qualquer besta selvagem para atacar o meu rebanho, eu o perseguia e com a minha mão o agarrava pelo pé e o atirava longe; em seguida, eu o arrastava por uma distância de quatrocentos metros e o abatia.

       Houve uma ocasião em que José foi alimentar o rebanho conosco por cerca de um mês. Mas sendo ele um tenro rapaz, sentiu-se fraco, e começou a passar mal em conseqüência do calor. Então combinamos que ele voltaria para junto de nosso pai em Hebron. Ora, Jacó permitiu que José se deitasse ao seu lado, pois o amava muito. E aconteceu de José contar para Jacó que os filhos de Zilpa e Bila estavam comendo os melhores cordeiros do rebanho sem o consentimento de Ruben e Judá. 
      Isso aconteceu porque ele viu quando eu arranquei uma ovelha da boca de um urso quando já ia devorá-la. Eu matei o urso, mas notei que a ovelha estava gravemente ferida e que haveria de morrer. Então fiquei furioso, e matei a ovelha para aproveitar-lhe a carne.

       Por essa razão, fiquei irado contra José até o dia em que ele foi vendido. E o espírito do ódio veio habitar em mim, de modo que nunca mais desejei ouvir a sua voz ou olhar nos seus olhos, pois ele já havia se tornado uma abominação para todos nós, porquanto houvesse dito ao nosso pai que estávamos comendo do melhor do rebanho sem a permissão de Judá. E o pior de tudo era que o nosso pai acreditava em todas as conversas que José lhe contava.

2

       Mas agora confesso que por diversas vezes desejei assassinar a José, pois o odiava no mais profundo do coração. E apesar disso, eu o odiava ainda mais por causa dos seus sonhos. E o teria matado longe de nossa casa, pois seria capaz de devorar-lhe à carne tal como a bezerra que devora o pasto. 
       Entretanto, eu e Judá optamos em vendê-lo aos ismaelitas por trinta peças de ouro, muito embora houvéssemos escondido dez delas e apresentado apenas vinte aos nossos irmãos. E assim, atiçado pela cobiça, eu me fiz completamente culpado pela destruição de José. Mas o Deus de nossos pais o livrou das minhas mãos, a fim de que eu não cometesse tão horrendo crime em Israel.
3

       Meus filhos, vocês devem estar atentos a todas as palavras da verdade, e a todas as obras da justiça, e a toda Lei do Altíssimo, e não vos deixeis seduzir pelo espírito do ódio, pois ele é nocivo a todos os feitos dos homens.  Tudo quanto o homem faz o odiador abomina; embora conheça a Lei de Deus, ele não O invoca em oração, e mesmo que seja temente a Deus, ele não terá prazer naquilo que é justo.

        Ele não tem apreço pela verdade, pois tem inveja da prosperidade alheia, e as palavras torpes são sempre bem-vindas aos seus lábios. Ele ama a arrogância, pois o ódio tem cegado a sua alma do mesmo modo que tinha feito comigo no tocante a José.

4

       Estejam atentos contra o ódio, pois ele opera a iniqüidade contra Deus; ele não vos permitirá ouvir as palavras dos seus mandamentos concernentes ao amor ao próximo, e com isso pecareis contra o Senhor. Porque se um irmão pecar, imediatamente (o homem odioso) desejará denunciá-lo perante as autoridades, e far-se-á necessário que ele seja julgado, punido e condenado à morte.

       Em se tratando de um servo, será denunciado ao seu senhor, o qual planejará uma aflição contra ele, e poderá até matá-lo. Porque o ódio opera a inveja, de modo que se irrita invejosamente contra aqueles que prosperam em boas obras, sendo-lhe bastante apenas ver ou ouvir. Porque assim como o amor é capaz de devolver à vida aquele que jaz à beira da morte, e pode resgatar aquele que está condenado ao inferno, assim pode também o ódio arrancar a vida ao homem vivente.

       O espírito do ódio trabalha junto com Satanás para que de todas as formas seja antecipada a destruição dos homens; mas o espírito do amor trabalha unido com a Lei de Deus, sendo longânimo em operar a salvação do homem.

5

       O ódio é maléfico, pois habita continuamente com a mentira, e protesta contra a verdade; ele faz com que as pequenas ofensas pareçam enormes, e dá mais importância às trevas do que à luz, podendo até afirmar que o doce é amargo; ele espalha calúnia, guerra, violência e todo tipo de maldade, e está apto a encher o coração com o seu veneno maldito.

       Eu lhes digo tais coisas com experiência, meus filhos, pois se tivesse me mantido fiel ao Senhor eu teria evitado o ódio. Os justos lançam fora o ódio e humildemente abandonam a ira, pois aqueles que são retos e modestos se envergonham de praticar coisas erradas; não por causa da consciência de outrem, mas devido ao seu próprio coração, porquanto o Senhor contempla o seu intento; ele não maldiz a nenhum homem, pois o temor do Altíssimo o faz vencedor sobre o ódio.

       O temor do Senhor o impede de pecar contra Deus, e não o permite praticar o mal contra o seu próximo nem mesmo em pensamentos. Ao menos isso eu pude aprender depois que me arrependi do mal que fiz a José. E o verdadeiro arrependimento traz uma maravilhosa consciência, pois destrói a ignorância, conduz para longe das trevas, ilumina os olhos, dá conhecimento à alma e conduz a mente para a salvação. De sorte que tudo aquilo que não podemos aprender com os homens, o arrependimento nos ensina.

       O Senhor fez vir uma enfermidade sobre o meu fígado, e se não fosse pelas orações de Jacó em meu favor eu teria morrido, pois o espírito já me abandonava o corpo. Porquanto naquilo em que o homem pecar será ele também punido. E assim como eu tinha agido impiedosamente contra José, estava o Senhor me tratando sem misericórdia, e fui castigado durante onze meses, já que essa também foi a soma de dias durante os quais estive aborrecido contra o meu irmão.

6

      Portanto, desde agora vos digo: amai-vos uns aos outros e lanceis o ódio para bem longe de vossos corações. Amai-vos com obras e com toda afeição da alma, e não apenas com palavras. Porque estando na presença de meu pai eu falava pacificamente com José, mas quando estávamos longe, o espírito do ódio me cegava a mente e instigava-me a matá-lo. Mas vós deveis vos amar cordialmente, e se alguém pecar contra um de vós, bom será o despir-vos do rancor e falar-lhe gentilmente, pois assim não ficará a culpa na alma; e se acontecer de se arrepender e vos confessar, perdoai-o.

       Mas se ele se nega a isso, não o resistais, a fim de que não venha a blasfemar e assim cometa duplo pecado. E não permitais que nenhum homem escute os segredos que disserdes ao lidar com alguma demanda legal, pois ele pode vir a odiar-vos e se tornar vosso inimigo e planejará praticar um grande mal contra vós; porque muitas vezes ele se dirigirá a vós com enganos, e se ocupará contra vós em maus intentos.

       E ainda que ele se negue por ter o senso de vergonha ao ser repreendido, não insistais. Porque aquele que hoje está endurecido poderá se arrepender amanhã. Sim, ele ainda pode vos ser honroso e estar em paz convosco. Mas se ele é inalterável e insiste em seus maus caminhos, então o esqueçais em vossos corações e o entregueis nas mãos de Deus.

7

       Caso alguém venha a prosperar mais do que tu, não o invejes, antes orarás por ele para que atinja a mais perfeita prosperidade, e isso também te será por bênção. E caso alguém venha a ser exaltado, não o invejes ainda, mas te lembrarás de que toda carne é vã e que está destinada à morte; a Deus oferecerás sacrifício de oração, porquanto sabe dar boas dádivas a todos os homens. Procura confiar na justiça divina e a tua alma descansará em paz.

       Porque ainda que alguém venha a enriquecer por meios suspeitos, tal como Esaú, o irmão de nosso pai, não serás por isso cobiçoso, mas esperarás para ver o fim que o Senhor lhe trará. Porque se alguém se apodera da fortuna alheia por méis ilícitos, Deus o perdoará, caso ele se arrependa, mas o impenitente ficará reservado para a condenação eterna. 

      E se um homem pobre se libertar da cobiça, ele será em tudo honroso perante o Senhor, e será abençoado entre todos os homens, porquanto não tem inveja daquele cujo coração é perverso. Portanto vós lançareis a ira para bem longe da vossa alma, e vos amareis mutuamente com um coração sincero.
8
       Aos vossos filhos contareis todas essas coisas que vos tenho dito, para que honrem a Levi e a Judá, pois é através deles que o Senhor fará nascer a salvação de Israel. E eu bem sei que nos dias finais os vossos filhos se apartarão deles e se entregarão a todos os tipos de impiedade e corrupção contra Deus.

       E havendo Gade descansado por um curto espaço de tempo, tornou a falar-lhes:
       Meus filhos, sejam obedientes a vosso pai e façam a minha sepultura junto ao túmulo de meus antepassados.

       Assim, ele se deitou e em paz descansou no sono eterno. E passados cinco anos os seus filhos tomaram os ossos e o levaram para Hebron, onde também repousavam os seus pais.